Início Colunista Como prevenir e tratar o câncer de mama em cadelas

Como prevenir e tratar o câncer de mama em cadelas

COMPARTILHAR

O câncer de mama é uma doença presente na vida de diversas cachorrinhas, principalmente se elas tiverem acima de 7 anos de idade. A maior incidência da doença estão nas raças Poodle, Pastor Alemão, Cocker Spaniel. E, também dentro do quadro dos animais sem raça definida.

E se você se preocupa em como se prevenir, ou mesmo cuidar da sua cachorrinha, caso ela venha contrair esta doença, dê uma olhada nestas dicas logo abaixo.

 

Antes de tudo, como isso acontece?

 

Tudo é uma questão hormonal, dentre outros vários fatores que podem causar a doença. Porém, hormônios como a progesterona, do crescimento, ou mesmo o estrógeno, podem ser ativos diretos no desenvolvimento gradativo de células cancerígenas de característica maligna. Sendo assim, pense muito bem antes de injetar anticoncepcionais (progestágenos) no animalzinho para prevenir o cio. Isso aumenta por demais as chances dela desenvolver o câncer de mama.

Além desses, existem também outros fatores que podem atuar rigorosamente no desenvolvimento do câncer de mama em cadelas, como distúrbios endocrinológicos que vão da irregularidade do intervalo entre o ciclo do cio, que acontece normalmente a cada 6 meses, até cistos foliculares ovarianos, corpo do útero persistente, pseudociese, conhecida como gravidez psicológica ou hiperplasia endometrial.

 

Quanto a prevenção, o que é melhor?

 

Parece crueldade, mas muito pelo contrário, é uma questão de saúde. Castrar a sua cadelinha antes do primeiro CIO transforma o surgimento do câncer de mama em quase nulo, chegando ao risco de apenas 0,5%. O risco vai aumentando conforme os CIOs vão chegando, sendo de 8% depois do primeiro CIO indo até 26% após o segundo. Ou seja, conforme os cios vão chegando a produção dos hormônios vão aumentando e os ricos aumentam junto. Se você pensa em realizar a castração quando sua cadelinha estiver já no terceiro ou quarto cio, o risco tende a crescer cada vez mais.

 

Como descobrir o câncer de mama?

 

Se a sua cachorrinha já tem mais de 5 anos, apalpar as mamas a cada 2 meses para descobrir nódulos pode ser o início de uma prevenção. Mas para a realização do diagnóstico efetivo, o ideal mesmo é ir à um veterinário.

E existem dois métodos para examinar seu animalzinho caso tenha suspeita de câncer de mama:

1- Citologia, que é mais seguro, mais barato, menos invasivo, porém com baixa precisão.

2- Biópsia, que necessita que o animal seja anestesiado, é mais invasivo, devido ao exame histopatológico. Onde uma amostra é coletada e mandada ao laboratório de análises.

 

Como é feito o tratamento?

 

O tratamento mais indicado a grande parte dos casos para esse tipo de situação é a cirurgia conhecida como mastectomia radical. Onde a o nódulo/tumor é retirado e enviado para o exame histopatológico. Isso, para se saber qual o tipo de tumor o animal apresenta e qual o seu grau de malignidade. Caso o tumor apresentado realmente apresente o câncer, indica-se diretamente a quimioterapia pós-operatória. Mesmo que a cachorrinha apresenta evidências de metástase.

 

Enfim, o câncer é uma doença muito cruel para os pacientes e também para os tutores. Então é muito importante cuidar do seu animalzinho com muito carinho, compreensão e paciência. Desta maneira, nem você nem ela vão sofrer com isso e irão passar este período de forma plena e com a saúde mental de ambos muito mais estável.

Gostaria de ler mais dicas como essa? Acesse o blog da Encrenquinha’s Pet clicando aqui.



COMPARTILHAR
Artigo anteriorRaiva canina: tipos, sintomas, tratamento e vacina
Redação Geração Pet
Adoramos ler, escrever e falar sobre pets! Amamos cães, gatos e todos os animais e estamos aqui para te ajudar a entender tudo sobre o seu amiguinho, tirar dúvidas, se divertir, rir, emocionar e conhecer várias dicas importantes.