COMPARTILHAR

Carrapatos e pulgas são parasitas que ficam nos corpos dos cães e gatos para se alimentar de sangue e causar muito incômodo, além de doenças.

Uma das mais graves zoonoses (doenças de animais) é a doença do carrapato.
Se ainda não leu o nosso post sobre carrapatos, clique aqui.

Suspeita que seu cão ou gato esteja doente? Então entenda o que é a doença do carrapato e quais são os sintomas e tratamentos nos tópicos a seguir.

O que é a doença do carrapato?

Erliquiose (ou Erlichiose) é uma doença infecciosa severa que acomete os cães e raramente atinge gatos ou seres humanos. A babesiose age sobre os glóbulos vermelhos, enquanto a erlichiose ataca os glóbulos brancos do sangue, destruindo-os e afetando o organismo do cão infectado.

É mais comum durante o verão, já que os carrapatos precisam de calor e umidade para se reproduzir. É comum confundir os sintomas da doença do carrapato com os sintomas da Cinomose, por isso é sempre importante consultar um veterinário assim que seu cachorro se mostrar apático, triste, prostrado e diferente do normal.

Lembre-se que a doença pode ocorrer mesmo que você não tenha percebido um carrapato no seu animal, porque, por exemplo, um carrapato infectado pode ter passado pouco tempo no corpo de um cão e transmitido a doença a ele.

sad-dog-on-hardwood-floor

 

Suspeita que seu animal esteja doente? Avalie os sintomas:

Quais são os sintomas da doença do carrapato?

Mesmo que não tenha encontrado carrapatos no seu cão ou gato, ele pode estar doente, então é muito importante observá-lo sempre e manter consultas frequentes com o médico veterinário.

Caso você suspeite que ele esteja com doença do carrapato, avalie se os sintomas acontecem:

1- Fase aguda:

Febre, falta de apetite, perda de peso e uma certa tristeza podem surgir entre uma e três semanas após a infecção. O animal pode apresentar também sangramento nasal, urinário, vômitos, manchas avermelhadas na pele, manchas esbranquiçadas nos olhos e dificuldades respiratórias.
O animal doente pode transmitir a doença e ainda é possível que se encontre carrapatos pelo seu corpo.
Normalmente o dono só percebe a doença na segunda fase, e assim como outras doenças, o diagnóstico precoce é fundamental para a recuperação.

2- Fase subclínica:

Pode durar de 6 a 10 semanas (sendo que alguns animais podem nela permanecer por um período maior). O pet não mostra nenhum sintoma clínico, é apenas possível identificar alterações nos exames de sangue.
Em alguns casos ele pode apresentar sintomas como inchaço nas patas, perda de apetite, mucosas pálidas, sangramentos e cegueira.
Caso o sistema imune do animal não seja capaz de eliminar a bactéria, ele poderá desenvolver a fase crônica da doença.

3- Fase crônica:

Os sintomas são percebidos mais facilmente como perda de peso, abdômen sensível e dolorido, aumento do baço, do fígado e dos linfonodos, depressão, pequenas hemorragias, edemas nos membros e maior facilidade em adquirir outras infecções. A doença começa a assumir características de uma doença auto-imune, comprometendo o sistema imunológico.
Geralmente o animal apresenta os mesmos sinais da fase aguda, porém atenuados, e com a presença de infecções secundárias tais como pneumonias, diarreias e problemas de pele. O animal pode também apresentar sangramentos crônicos devido ao baixo número de plaquetas (células responsáveis pela coagulação do sangue), ou cansaço e apatia devidos à anemia.
É claro que a maioria destes sintomas serão examinados e identificados pelo médico veterinário, mas os primeiros sinais são essenciais para que o dono perceba, suspeite e tome uma providência para levar o cão ou gato para um consulta!

Seu animal foi diagnosticado? Saiba como é o tratamento a seguir.

Como tratar a doença do carrapato?

A doença do carrapato é diagnosticada por exame de sangue após uma avaliação prévia do profissional de medicina veterinária.

doença do carrapato veterinario

Tanto a erliquiose quanto a babesiose tem tratamento e podem ser curadas através de medicamentos, porém, o mais interessante de se ressaltar é a importância do controle do ambiente, buscando sempre mantê-lo livre dos carrapatos que transmitem a doença. Quanto antes se inicia o tratamento maior a chance de eficácia e cura.

Já no inicio do tratamento o animal apresenta uma melhora nos sinais clínicos, mas para uma eliminação total é necessário um tempo maior, levando semanas a meses para efetivamente livrar o animal da doença.

O tratamento deve ser iniciado o mais cedo possível, pois a doença do carrapato pode levar a uma degeneração da medula (parte do corpo responsável pela produção dos glóbulos vermelhos do sanque) o que é capaz de causar uma anemia profunda e podendo levar o animal a óbito. Devido a anemia que a doença causa, é preciso entrar com vitaminas (de acordo com a prescrição do médico veterinário) para eliminar a anemia.

Prevenção é o melhor remédio!

Como já falamos tanto no post sobre pulgas quanto no de carrapatos, a melhor forma é manter uma prevenção contra parasitas em casa, assim evitando possíveis infestações e doenças.

Existem no mercado diversos tipos de produtos para manter o ambiente livre de pulgas e carrapatos como talcos e sprays, além de dicas de receitas caseiras que dizem acabar com os parasitas.

Tenha atenção também aos pombos, que trazem os parasitas em seu corpo e se atraem pela ração dos cães e gatos. O ideal é manter as refeições em horários determinados e não deixar ração disponível o tempo todo para eles.

Cuide bem do seu amiguinho de 4 patas!
Tem alguma dúvida ou sugestão? Escreva nos comentários!
Indique aos seus amigos e alerte-os sobre a saúde e cuidados com o seu pet!

Siga-nos no Facebook | Confira nossas ofertas

Fontes: Tudo sobre cachorros e Cachorro Gato