COMPARTILHAR

A vacina de gato, assim como a vacinação de outros animais, é um tema polêmico entre a classe veterinária. Alguns acreditam que os animais são vacinados em excesso mas na rotina vemos que a vacinação, tem sido realmente necessária na maioria dos casos.

Primeiramente vamos falar sobre as doenças as quais as vacinas disponíveis no mercado brasileiro oferecem proteção: Não é nosso objetivo aprofundar ou falar tecnicamente sobre elas, mas queremos de uma maneira simples resumir o que cada doença causa nos animais.

Contra quais doenças a vacina para gato imuniza?

RINOTRAQUEITE VIRAL FELINA: Infecção das vias respiratórias causada pelo herpes vírus felino. Transmitido pelo contato direto entre animais e por aerossóis (pelo ar!). Uma vez que o gato contrai a infecção, assim como no herpes humano, ele torna-se portador e pode desenvolver os sintomas da doença em situações de estresse e baixa imunidade. Os sinais são geralmente espirros, secreção purulenta nasal, conjuntivite entre outros que em casos graves pode evoluir para pneumonia, úlcera de córnea e suas devidas complicações.

CALICIVIROSE: Também causada por vírus que, como o herpes, resulta em infecção das vias aéreas, conjuntiva e mucosa oral. Uma cepa fatal do calicivírus em gatos adultos também foi descrita. As lesões mais importantes observadas são as úlceras em boca e língua que, em casos complicados, além de muita dor e desconforto pode evoluir para perda dos dentes. O gato uma vez infectado se torna portador e continua a eliminar o vírus. A forma de contagio se dá pela mesma forma do herpesvirus.

PANLEUCOPENIA VIRAL FELINA: Causada pelo parvovirus, similar a parvovirose dos cães, que causa sinais gastro-intestinais. Em filhotes pode ser fatal e em adultos, desde que não haja doenças concomitantes ou imunossupressão pode ser sub-clinica. A transmissão se dá pelo contato com as fezes do animal doente ou materiais contaminados pelas fezes. Se uma gata prenhe se infectar, os filhotes podem ter má formação cerebral. IMPORTANTE: como o virus é da família do parvovirus, cães podem transmitir a doença para gatos e vice versa.

vacina de gato

CLAMIDIOSE: Doença causada por uma bactéria que causa principalmente conjuntivite além de sinais respiratórios. A doença tem poucas complicações e boa resposta a tratamento.  É transmitida pelo contato entre gatos doentes. A vacina protege contra os  sinais clínicos entretanto não impede a infecção.  É indicada em animais que tem acesso a ambientes externos e a outros animais ou gatos que vivem em colônias ou residências com múltiplos gatos.

LEUCEMIA VIRAL FELINA: Causada por um vírus que leva a desordens na medula óssea levando a sinais de imunossupressão e/ou anemia ou ao desenvolvimento de neoplasia (Linfoma). Os animais se infectam ao terem contato continuo com gatos infectados, já que ele está presente na saliva, fezes, urina e leite materno. Os animais devem ser testados antes de receber a vacina e esta somente deve ser aplicada em animais negativos que realmente estão expostos ao risco da infecção devido aos potenciais efeitos colaterais da mesma. Animais já expostos ao vírus não se beneficiam da vacinação.

RAIVA: Zoonose, invariavelmente fatal. O vírus é transmitido através da saliva de animais doentes. Gatos que tem acesso a rua podem se contaminar em brigas com outros mamíferos. A vacina somente foi testada em animais domésticos, portanto desconhece-se a eficácia da vacinação em outras espécies silvestres e híbridas.

No Brasil a legislação obriga que os animais sejam re-vacinados anualmente.

Além disso, deve-se ter atenção a reações adversas a vacina, principalmente nos gatos.

gato

Então: é necessário vacinar meu gato todos os anos?

Primeiramente, contra a raiva sim! Porque é lei e não vamos discutir.

Segundo: As vacinas disponíveis no mercado são, na maioria delas, produzidas com vírus mortos ou atenuados, o que significa que não são capazes de desencadear a doença. Fica a pergunta: O gato ao receber a vacinação estava saudável? Foi examinado clinicamente para averiguar se não havia alguma infecção sub clinica que impedisse o organismo de produzir anticorpos a vacinação? ou será que o sistema imune estava “ocupado” combatendo outro problema e deixou a vacinação de lado?

Para se ter uma ideia, se o animal apresentar qualquer tipo de parasita como pulgas ou verminoses a resposta vacinal já não será a mesma, levando-se em conta ainda que nenhuma vacina é 100% eficaz. Quantas vezes seu gatinho chegou na clinica e só tomou uma injeção?

Pois é essa falta da padronização ao se vacinar os animais é que gera a dúvida se estão realmente protegidos ou não, e por isso se re aplica a vacina anualmente nos animais.

vacina090412Além disso, o que nos preocupa mais ainda é que no nosso país algumas fiscalizações são falhas e não se sabe como foram transportadas e como estão sendo acondicionadas essas vacinas. A clinica deve ter um controle diário da temperatura, uma geladeira exclusiva para elas, do contrario, oscilações na temperatura e uma queda de energia pode fazer com que se perca a eficácia das vacinas e quem controla isso?

E olha que nem vou mencionar as vacinas de lojas agropecuárias que são aplicadas por lojistas.

Conclusão

Em um breve resumo, e desabafo, tentamos educar nossos clientes sobre a real importância da vacinação dos animais. O importante não é a vacina somente! É a consulta e a orientação do medico veterinário!

Não existe uma “receita” de esquema vacinal. Nossos clientes somente recebem as vacinas que realmente fazem parte do desafio a que seus animais são expostos. Cada gatinho é tratado individualmente e tem seu próprio esquema de vacinação associado a desverminação e controle profilático de ectoparasitas.

E para finalizar: Aproveite a consulta de vacinação de seu gato, tire suas duvidas! Pergunte!

Como diz o velho ditado: Em Medicina felina “prevenir é melhor (e muito!) do que remediar!”

Afinal: quem gosta de dar remédio a um gato!?