COMPARTILHAR

Com a chegada dos dias quentes, frequentemente pensamos em como aliviar nossos pets do calor. Geralmente, a primeira coisa em que pensamos é no banho em gatos, e também na tosa dos pêlos.

Gatos precisam de banho? Precisam de tosa? Com que frequência?

Neste artigo já abordamos o assunto de cuidados com gatos nos dias quentes, mas se suas dúvidas são relacionadas ao banho em gatos, continue lendo este post…

Especialmente nos gatos, a necessidade ou não da realização de banhos e sua frequência tem sido tema de muitos debates. Vamos, portanto, expor algumas considerações a respeito desse assunto.

Em geral, os gatos não precisam de banho! Eles são animais que naturalmente se limpam diariamente e despendem grande parte do seu dia na sua higienização. Mas, em algumas circunstâncias os banhos em gatos devem ser considerados.

banho em gatos

A língua do gato possui espículas de queratina que auxiliam na sua escovação, no entanto, em gatos de pêlos longos essa auto escovação pode não ser o suficiente e a língua não alcançar a pele para limpeza de restos celulares ou mesmo da oleosidade em pontos específicos. Mas em muitos casos, a escovação é o suficiente.

E o banho em gatos?

Um gato que apresenta lesões de pele, parasitos ou feridas é um candidato a tomar banho. Mas devemos nos lembrar que os banhos estressam esses animais, portanto a causa do problema de pele deve ser levada em consideração para não piorar ainda mais o quadro. Os banhos, quando necessários, devem sempre fazer parte de um tratamento dermatológico e não serem o único tratamento. O estresse desencadeado ao banhar um felino libera hormônios de estresse que são hiperglicemiantes, ou seja, fazem com que a glicemia sanguínea aumente e esse gatos podem até ser diagnosticados erroneamente como diabéticos.

Outras situações em que um banho é indicado nos felinos são em casos de intoxicações com produtos químicos em contato com a pele, como por exemplo banhos com antipulgas contra indicados na espécie. Lembrando que nesses casos os banhos devem ser realizados com água ligeiramente fria para não piorar ainda mais a intoxicação.

banho em gatos

Mas geralmente os gatos são banhados por incômodo da sua aparência ao proprietário, principalmente os gatos de pelagem clara e longa. Se esse é o seu caso, então vamos expor algumas considerações:

Gatos não tem cheiro, portanto ao banhar o felino é contra indicado o uso de qualquer produto que tenha forte odor de perfumes. O que acontece nesses casos é que o felino vai se lamber excessivamente após o banho para retirar aquele cheiro que não é característico dele, aumentando as chances de ingerir mais pêlos e eventualmente vomitar depois.

A freqüência de banhos também deve ser a mínima possível, justamente pelo que dissemos anteriormente com relação ao estresse que os pré dispõe a infecções oportunistas. Diferentemente dos cães, gatos não precisam de banhos quinzenais ou mensais. Intervalo de cerca de 2 meses entre banhos pode ser suficiente, mas recomendamos que consulte o veterinário para encontrar o modo ideal de como administrar estes cuidados com seu gatinho!

E por fim, investigar se realmente o gato precisa de banho, pois gatos idosos ou com excesso de peso podem ficar “sujos” na parte posterior das costas por não conseguirem se higieniza direito ou mesmo por estarem sentindo dor. Lembre-se que um gato saudável é um gato limpo.

Recomendamos alguns produtos, shampoos e cosméticos ideais para os gatos, clique aqui e confira!

E a tosa?

Tosar um gato também é  uma forma de mantê-lo mais limpo e  aliviar um pouco o calor. No entanto deve-se ter cuidado com a forma que irá ser feita a tosa desse animal. Aparar os pêlos em baixo das patinhas, região perineal e ventral pode ajudar a aliviar o calor, diminuir a formação dos nós e ajuda o gato a se sentir melhor. Não é recomendado passar lamina baixa e tosar todo o animal, bem como não deve-se tosar a região da cabeça e a cauda do gato. Muitos gatos podem se sentir deprimidos quando perdem sua característica. O ideal é que o comprimento dos pêlos do corpo sejam aparados com tesoura mas não seja realizada a tosa em si.

A necessidade de realização de banhos em gatos só não é discutida quando o proprietário tem alergia a sua saliva acumulada nos pêlos, e a frequência desses banhos é determinada pela sensibilidade do proprietário.

banho em gatos

E para finalizar: costumamos dizer que gatos não gostam de banho, pois muitos acabam sendo forçados a isto. Há gatos mais bonzinhos que permitem que sejam banhados, o que não significa que gostem. Mas existem diversos felinos que adoram brincar com água! Só é importante tomar cuidado para que não fiquem molhados e predispostos a lesões por fungos na pele!