Início Comportamento Cachorro ansioso: Medo de ficar sozinho

Cachorro ansioso: Medo de ficar sozinho

COMPARTILHAR
Crédito: Brett Hondow por Pixabay

A vida moderna vem fazendo com que nós, humanos, tenhamos cada vez menos tempo livre. É muito trabalho, aliado com as tarefas de casa, que nos deixam somente com os finais de semana para aproveitar.

E se temos um bichinho em casa, isso significa também menos tempo para interagir com ele.

Alguns cachorros podem sentir bastante esse distanciamento e desenvolver a chamada Síndrome da Ansiedade de Separação.
É quando o cãozinho mostra atitudes desesperadas quando se vê sozinho. Mas saiba que é possível tratar isso e dar mais bem-estar ao seu cachorro.

Sintomas

Cachorros pequenos têm mais chances de desenvolver a síndrome. Crédito: LauraTara por Pixabay

O cachorro é um animal muito social. Desde pequeno, quando está junto de seus irmãozinhos, ele já desenvolve essa dependência de estar com mais animais (ou pessoas) ao seu redor.

Por isso, quando ele se vê sozinho, pode ser algo assustador.
Especialistas afirmam que todos os tipos de raças de cachorros podem desenvolver a Síndrome da Ansiedade de Separação. Mas há um índice maior entre cachorros pequenos e que vivem somente dentro de casa.

Os principais sinais estão no comportamento do animalzinho. Eles aparecem, principalmente, quando o cachorro começa a perceber que irá ficar sozinho em casa.

O cãozinho pode destruir objetos, como morder sofás, pés de cadeira, janelas, portas… Ou então se automutilar. Ele também começa a latir e uivar em excesso, pelo desespero de estar só, e urinar e defecar em lugares proibidos, como na cama do seu tutor.

Todas essas atitudes são desencadeadas por ansiedade e medo de ficar sozinho.

Causas

Quando ficam sozinhos, os cachorros podem demonstrar comportamentos de ansiedade e depressão. Crédito: F. Muhammad por Pixabay

Um dos principais motivos para surgir a síndrome entre os cachorros é o apego excessivo com os seus tutores. Cachorros que seguem os tutores por todos os cantos e demonstram uma felicidade extrema quando o tutor chega em casa podem estar sofrendo com esse mal.

O mais indicado, nesse caso, é trabalhar o comportamento do bichinho. É preciso mostrar para ele que é seguro ficar em casa sozinho, colocando brinquedos e petiscos por toda a casa, para ele se distrair enquanto o tutor estiver fora.

Além disso, adestradores indicam que é melhor não “fazer festa” com o cachorro ao chegar em casa. Isso só irá reforçar as causas da síndrome. O mais indicado é esperar o cachorro se acalmar, para então fazer carinho, interagir com o bichinho.

Não fique com medo de ele gostar menos de você por isso. Com o tempo ele irá entender a melhor forma de interagir com você.
Outras causas também podem fazer surgir a Síndrome da Ansiedade de Separação.

Entre elas estão a morte de um outro bichinho em casa, a chegada de um bebê, saída de membros da família da casa onde está o animal, mudança na rotina dos tutores. Ou seja, modificações na forma como o cachorro interage com a sua família.

Desde filhotes, os cachorros gostam de companhia. Crédito: Ulrike Leone por Pixabay

Para melhorar a situação, é sempre bom contar com a ajuda de um profissional, como um médico veterinário e um adestrador. Eles poderão dar um diagnóstico com exatidão e indicar os melhores tratamentos.

Mas é sempre bom os tutores manterem uma rotina rica em atividades para os bichinhos. Sair para passear, brincar, estimular a socialização com outras pessoas e animais e oferecer carinho em doses não muito frequentes (para que ele não fique tão dependente) podem ajudar e muito para evitar problemas de comportamento.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorComo lidar com gato agressivo?
Próximo artigoGuia de Raças: Angorá
Adoramos ler, escrever e falar sobre pets! Amamos cães, gatos e todos os animais e estamos aqui para te ajudar a entender tudo sobre o seu amiguinho, tirar dúvidas, se divertir, rir, emocionar e conhecer várias dicas importantes.