Início Curiosidades É crime cortar orelhas e rabo de cachorro!

É crime cortar orelhas e rabo de cachorro!

COMPARTILHAR
Crédito: Jens Lanckman por Pixabay

Muitos tutores adoram enfeitar os seus bichinhos, para que fiquem ainda mais bonitos. Colocam lacinhos, roupinhas, gravatas, chapéus… Uma infinidade de mimos.

Porém, uma prática que era muito comum antigamente era fazer o corte do rabo e das orelhas de algumas raças de cães, para fins estéticos. É sempre importante lembrar que isso é crime!

Promover a caudectomia (corte do rabo) e da conchectomia (corte das orelhas) passou a ser considerado como mutilação após revisões em leis específicas, prevendo penas para quem comete tais atos.

Leis

Por muitos anos os Pitbulls sofriam com os cortes de orelhas e rabo. Crédito: Joe Stoltz por Pixabay

A Lei Federal de Crimes Ambientais mostra, em seu artigo 32, que mutilar qualquer tipo de animal, seja ele doméstico ou selvagem, é crime. A pena seria de três meses a um ano, mais uma multa estipulada pela Justiça. Nada mais justo, não é mesmo?

Além disso, os médicos veterinários também possuem uma regulamentação, feita pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), que proíbe tais práticas.

Antes, o Conselho apenas recomendava que os profissionais não atendessem a pedidos de cortar os rabos e orelhas para fins estéticos. Porém, em 2013 a instituição decidiu rever o texto da Resolução que tratava sobre isso, proibindo esses procedimentos.

Assim, os médicos veterinários que fizessem caudectomia e conchectomia poderiam ser presos e proibidos de atuar na profissão.

Afeta o comportamento dos cães

Todos os animais já são lindos da forma como nasceram. Crédito: Rebecca Schönbrodt-Rühl por Pixabay

Antigamente era muito comum ver determinadas raças com esses tipos de cortes. Dobermans, Pitbulls e Boxers, por exemplo, sempre tinham suas orelhas cortadas.

Já no caso de corte de rabos, as raças que mais sofriam com isso eram as já citadas acima, mais os Cockers, Poodles e Rottweilers, por exemplo.

Não existia nenhuma recomendação médica veterinária para isso. Os tutores faziam isso porque era considerado como um padrão para a raça, de acordo com a documentação da Confederação Brasileira de Cinofilia.

Porém, defensores do bem-estar dos animais começaram a lutar e conseguiram com que essas práticas fossem proibidas. Os principais motivos seriam expor os animais a uma violência gratuita, além de causar problemas de comportamento, já que os cães utilizam a causa para se equilibrar e para se comunicar com outros seres.

Fazer esses cortes também expõe os animais a diversos tipos de infecções, o que demonstra ainda mais a importância da proibição.