Início Saúde Alimentação Lipidose hepática felina: sintomas, causas e tratamento

Lipidose hepática felina: sintomas, causas e tratamento

COMPARTILHAR
Crédito: Dušan Smetana por Pixabay

A alimentação influencia, e muito, na saúde dos pets. Certamente você já deve ter ouvido isso de algum médico veterinário.

E isso é verdade mesmo! No caso dos gatos, é possível evitar diversas doenças apenas com uma dieta balanceada e oferecendo uma boa ração aos peludos.

Uma dessas doenças que afeta muitos gatos é a lipidose hepática felina. Você já ouviu falar?

Se trata de um acúmulo exagerado de gordura no fígado, que traz muitos males para os gatinhos. Nesse texto iremos tirar todas as dúvidas sobre essa doença.

O que é e causas

Se o gato estiver apático, pode ser um sinal da lipidose hepática. Crédito: Marina Pershina por Pixabay

Quando o gato não está se alimentando bem ou comendo demais uma ração que não seja tão boa para o seu organismo, certamente algo de ruim poderá acontecer.

O fígado é o órgão responsável por desintoxicar o corpo, sintetizando os nutrientes e ajudando na digestão. Se ele não estiver funcionando bem, os problemas começarão a aparecer.

No caso da lipidose hepática felina, as células do fígado estariam acumulando 50% de gorduras a mais no órgão, comprometendo o seu funcionamento.

Isso acontece quando está acontecendo uma nutrição inadequada. Por isso falamos da extrema importância de uma boa alimentação.

Sintomas

Perceba se o gato está evitando a comida, porque pode ser um sinal da doença. Crédito: congerdesign por Pixabay

Para saber se o seu gatinho está sofrendo com essa doença, é preciso ficar atento a alguns sinais.

Entre os principais estão:
• Apatia;
• Anorexia;
• Vômito;
• Diarreia;
• Fraqueza,
• Icterícia (aspecto amarelo na pele e nas mucosas, principalmente gengiva e área dos olhos).

Caso perceba que o seu animalzinho não está bem, é preciso consultar um médico veterinário. Apesar de a lipidose hepática ser bastante comum, ela é bastante grave!

Tratamento

Uma boa alimentação ajuda a evitar muitos problemas. Crédito: Florian Bollmann por Pixabay

A doença é confirmada por meio de exames, como o de sangue, que devem ser realizados a pedido do médico veterinário consultado. Assim, ele poderá indicar o melhor tratamento para o seu bichano.

O principal tratamento é feito por meio da prescrição de uma dieta específica, que deve ser seguida à risca para evitar complicações.

Em alguns casos, o médico veterinário pode receitar uma ração hepática e suplementação, com o uso de vitaminas específicas.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGuia de Raças: Himalaia
Próximo artigoComo acostumar o cachorro com o nome?
Adoramos ler, escrever e falar sobre pets! Amamos cães, gatos e todos os animais e estamos aqui para te ajudar a entender tudo sobre o seu amiguinho, tirar dúvidas, se divertir, rir, emocionar e conhecer várias dicas importantes.