Início Saúde Cuidados Tudo sobre a Fisioterapia Veterinária

Tudo sobre a Fisioterapia Veterinária

COMPARTILHAR
Crédito: Pet Fisio (www.petfisio.com.br)

Você sabia que até os animais podem passar por sessões de fisioterapia?

Esse tipo de tratamento é um ótimo aliado para recuperações de lesões e problemas de locomoção, neurológicos ou até mesmo para auxiliar no controle da obesidade.

Muito utilizada por humanos, a fisioterapia vem ganhando cada vez mais espaço nos tratamentos dos pets. E apresenta excelentes resultados!

Saiba mais sobre a fisioterapia veterinária nesse texto!

Histórico

A fisioterapia veterinária surgiu a partir da reabilitação de cavalos. Crédito: Wolfgang Claussen por Pixabay

A fisioterapia utilizada em humanos é tão antiga quanto a história da humanidade. Os nossos ancestrais já utilizavam de exercícios para amenizar dores e lesões.

Com o tempo essa ciência foi evoluindo, culminando, em meados do século XX, com o real surgimento dos tratamentos fisioterápicos. Na época, as duas guerras mundiais deixaram muitas pessoas feridas, que necessitavam de uma abordagem específica de reabilitação.

E assim os tratamentos foram evoluindo e causando no surgimento da fisioterapia para humanos.

Para os animais, foi somente na década de 1930 que ela foi instituída. A casa real britânica contava com os serviços do fisioterapeuta Sir Charles Strong. Ele, então, teve a ideia de aplicar o método de reabilitação nos cavalos lesionados que eram usadas nos jogos de polo.

Assim ele foi implementando os exercícios e reuniu todo o conhecimento em um livro, que lançado pelo fisioterapeuta em 1967. Ao longo dos anos os demais profissionais foram estudando ainda mais profundamente o assunto e criaram métodos específicos para os animais de companhia, os nossos pets.

Indicações

São usados exercícios específicos para ajudar na locomoção. Crédito: Fisio Care Pet (www.fisiocarepet.com.br)

A fisioterapia veterinária é extremamente indicada para animais que sofrem de problemas ortopédicos e neurológicos, além de ajudar – e muito – no tratamento de obesidade.

Os exercícios aplicados auxiliam na reabilitação de pets que tenham dificuldades para se locomover, além de reduzir inflamações, prevenir ou minimizar atrofias de músculos, cartilagens, tendões e ligamentos, e melhorar a função cardiovascular.

Dessa forma, é possível oferecer uma melhor qualidade de vida ao pet, ajudando no resgate de uma musculatura equilibrada. Então o bichinho terá uma vida mais tranquila e saudável.

Principais métodos utilizados

A terapia aquática é um dos métodos da fisioterapia veterinária. Crédito: Fisio Care Pet (www.fisiocarepet.com.br)

Os métodos fisioterapêuticos aplicados dependem do diagnóstico recebido pelo animal.

No caso de obesidade, a terapia aquática é bastante utilizada, pois diminui o impacto da gravidade através da água, auxiliando no tratamento de dores nas articulações causadas pelo excesso de peso. Além de ser ótima para o condicionamento físico.

As artrites e artroses podem ser tratadas por meio da termoterapia (uso de bolsas quentes), que dilatam os vasos sanguíneos e ajudam na diminuição de dores. A terapia aquática e o uso de lâmpadas de infravermelho também são usados nesses casos.

A cinesioterapia (terapia dos movimentos) é um ótimo método para diminuir dores e inflamações. São realizados alongamentos e mobilizações articulares para o tratamento de artrites e artroses, além de ajudar em casos de traumas e fraturas na coluna.

Existem ainda a estimulação elétrica e a aplicação de ultrassom dentro da fisioterapia veterinária. Esses métodos servem para aquecer e relaxar os músculos, por isso são indicados para quadros de displasia coxofemoral (que é quando o pet transfere o peso do corpo para os membros torácicos, causando atrofia da musculatura pélvica) e também para tratar problemas na coluna e luxação da patela.

Os exercícios devem ser aplicados somente por profissionais qualificados. Crédito: Pet Fisio (www.petfisio.com.br)

Portanto, os benefícios da fisioterapia veterinária são inúmeros, aumentando, e muito, o sucesso do tratamento de uma forma não invasiva. Lembrando que ela deve ser aplicada como uma terapia complementar, sempre indicada e realizada por profissionais qualificados.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGuia de Raças: Basenji
Próximo artigoOs 6 principais benefícios dos cães no local de trabalho
Adoramos ler, escrever e falar sobre pets! Amamos cães, gatos e todos os animais e estamos aqui para te ajudar a entender tudo sobre o seu amiguinho, tirar dúvidas, se divertir, rir, emocionar e conhecer várias dicas importantes.